Arquivo | novembro, 2011

Cerveja Pilsner Urquell

30 nov

Provavelmente por serem leves, refrescantes, não muito amargas e principalmente (para as cervejarias) ideal pra serem tomadas em grandes quantidades, as cervejas Pilsen dominam completamente o mercado brasileiro. Mas segundo o sommelier de cervejas, Mauricio Beltramelli, a maioria das cervejas brasileiras de massa, não são exatamente Pilsen. São Standard American Lager. O principal fato que comprova isso, é a diferença do nível de amargura (IBU) entre os dois estilos. As Pilsens começam em 25 e vão até 45,  já as Standard American Lager tem no máximo 15, o que acontece com a maioria das loirinhas geladas brasileiras.

A Pilsen é o gênero de cerveja mais consumido no mundo. Ela foi criada na cidade tcheca de Plzen em 1842 na cervejaria Pilsner Urquell. Antes de 1840, as cervejas consumidas na cidade eram vindas da região da Bohemia, eram caracterizadas por serem bem encorpadas e de alta fermentação. Essa cerveja escura não agradava os burgueses de Plzen. Por esse fato, ficou a cargo do mestre cervejeiro bávaro alemão Josef Groll, o desenvolvimento de uma cerveja melhor. Ficou decidido também que iria se construir uma nova cervejaria, capaz de armazenar adequadamente as cervejas de baixa fermentação produzidas na região.

A Pilsner Urquell é caracterizada pela sua clareza e pela cor dourada. Mais lupulada que as outras pilsens, ela leva lúpulos cultivados na Europa Central, como por exemplo o Saaz. A receita de Groll, que inclusive morreu aos 74 anos bebendo cerveja na mesa do bar, é muito bem executada e guardada pela Urquell, que para muitos é a melhor cerveja Pilsen do mundo. Ela pode ser harmonizada com comidas leves, saladas, frutos do mar, queijos suaves e petiscos.

Com a propaganda da Pilsner Urquell acima, fica a pergunta. Será que só no Brasil as propagandas de cerveja são, na maioria, pessoas nada a ver, fazendo coisas idiotas e achando que, quem bebe cerveja é completamente retardado?

Anúncios

Nike Waffle Series

30 nov

O primeiro produto desenvolvido pelo fundador da Nike, Bill Bowerman foi a sola de “waffle”. Bowerman começou a experimentar quais solas teriam uma maior aderência à pista da Universidade de Oregon e descobriu que o poliuretano teve os melhores resultados. Numa manhã de domingo ele derramou poliuretano líquido em uma velha máquina de fazer waffles de sua esposa e usou sua sola no tênis  Nike Waffle Trainner em 1974.

A origem da Nike deu-se em 1964, quando o treinador de atletismo da Universidade do Oregon, Bill Bowerman, e seu atleta, Philip Knight começaram a fazer experimentos para aumentar sua performance. Os dois já eram proprietários da Blue Ribbon Sports, um pequeno distribuidor de tênis japoneses Onitsuka Tiger. Como os lucros da empresa iam de vento em popa o negócio expandiu rapidamente e a Blue Ribbon Sports se preparava para lançar a sua primeira linha de tênis próprios levando o famoso Swoosh, a vírgula da empresa, que a comprou por $35 da designer Carolyn Davidson em 1971. A coleção para futebol chamava-se Nike, o nome da deusa grega da vitória, Νίκη. A partir dai a empresa não vencia fazer pares e mais pares de tênis esportivos sempre apostando em novas tecnologias.

A Nike resolveu eternizar a primeira criação de seu criador. A coleção Nike Vintage, traz a tona novamente todo o cenário de quando a Nike não era a gigante de hoje, com os seus lendários Nike CortezNike Waffle RacerNike Oregon WaffleNike Elite, Nike LD-100Nike Daybreak. Vale a pena dar uma olhada no hotsite da coleção, aqui.

Qisda QPT-231 Mini-Projector

29 nov

A empresa taiwanesa Qisda ganhou o prêmio Reddot Design 2011 com o seu compacto, simples e elegante projetor QPT-231. O aparelhinho de 250 gramas, apresenta muitas opções de conexão e usa uma liga de alumínio que ajuda a reduzir problemas térmicos e de ruído, comuns entre projetores.

O mini-projetor suporta D-sub e AV-in padrão, pode-se assistir TV, navegar na internet, jogar video-game, apresentar trabalhos e fotos numa tela de 100 lúmens de brilho com tamanho de, no máximo, 50 polegadas. Fora da tomada o QPT-231 têm autonomia de 3,5 horas.

 

50 Cent Sync Headphones

28 nov

Depois de sobreviver à 9 tiros o rapper 50 Cent também resolveu lançar a sua própria linha de headphones. O grande trunfo do “Sync By 50” é que ele não tem fios. O transmissor wireless possui um alcance de 50 metros, podendo sincronizar-se com 4 fones ao mesmo tempo. O headphone não perde sons digitais e tem cancelamento de ruído passivo, a espuma que memoriza o perfil do dono traz conforto por longos intervalos de tempo.

O pack contém um cabo de microfone, plug adaptador para avião e um pano especial para limpeza, tudo dentro de um case rígido. O headphone, por enquanto, está disponível apenas no branco e no preto. Por $400, aqui.

 

Mezcal Mano Negra

28 nov

Milhares de coisas são mais conhecidas e chamadas pelo nome de uma marca ou região: Hambúrguer, band-aid, maizena, xerox… A tequila, não é diferente. Tequila era uma marca que curiosamente ganhou mais marcas.

Tequila é uma cidade com menos de 70 mil habitantes do estado de Jalisco, no México. Desde o século 16, nessa cidade era produzida a “Tequila Mezcal”, que ao longo do tempo, ficou conhecida mais como tequila do que mezcal. Mas mezcal é uma bebida com graduação alcoólica variante entre 45% e 55%, graças ao grande número de tipos de agave, matéria prima da tequila/mezcal. Essa planta típica é cultivada em remotas regiões do México, principalmente nos estados de Oaxaca, Guerrero e Durango.

A embalagem do Mezcal Manonegra se parece com um vidrinho de remédio. O Mano negra é fermentado naturalmente  por dias sem a ajuda de produtos químicos para agilizar o processo. Para garantir a pureza ela é duplamente destilada, pode-se comprovar a pureza, quando o vidro é agitado e formam-se pequenas bolhas no topo do liquido. O mezcal pode ser servido puro, decorado com laranja, com uma mistura de sal e pimenta em pó ou com uma cerveja lager trincando de gelada. O bom mezcal não é barato, porque a sua produção com ingredientes naturais é longa e demanda muito esforço. Em média o preço varia na casa dos R$100.

Back to the Future: 25th Anniversary Trilogy

26 nov

 

Sim, Marty McFly já completou 25 anos. Escrito por Robert Zemeckis e Bob Gale o “De Volta Para o Futuro” estreou em junho de 1985.  Será que a Universal Pictures e Steven Spielberg, quando leram o roteiro pela primeira vez, sabiam que quase depois de 3 décadas a saga acumularia milhares de fans em todo mundo?

Para comemorar o 25° aniversário do “Back to the Future”, foi lançado um box comemorativo com posters e objetos do filme como a placa do famoso Delorean. O box, além do filme ser em Blu-ray, tem conteúdos exclusivos e inéditos: Comparação dos Storyboards, trívia sobre o filme entre outros. Tudo por, £99 aqui.

 

 

Artfort Globus Workstation

25 nov

O Globus do designer holandês Michiel van der Kleij é uma estação de trabalho móvel com uma forma inovadora e compacta. A estação tem a base em alumínio com rodas de apoio e uma esfera de plástico moldado. Metade da esfera contém um assento giratório confortável e a outra metade esconde uma pequena mesa ajustável para computador ou laptop. Originalmente é toda branca, mas ela é totalmente personalizável, ao ponto de transformar-se numa bola 8. Para informações sobre como comprar e preços, aqui.

 

Despertador Wake’n Bacon

24 nov

Como dizem por aí, bacon é vida. Pensando nisso, os amigos Hsiao-huh Hsu, Josh Myer, Matty Sallin e Daniel Bartolini fizeram um projeto DIY (Do-it-yourself) para se acordar transbordando vida logo pela manha.

Para o Wake’n Bacon funcionar basta colocar, na noite anterior, tiras de bacon pré-cozidas em uma toalha de papel na bandeja de teflon dentro do despertador. O tempo de cozimento é de 4 minutos, graças à uma lâmpada halogênea colocada no teto do despertador-porquinho. Coloque para despertar às 7:00 e às 7:04 ao invés de ser incomodado por um barulho ensurdecedor dentro do seu cérebro, você irá despertar com um suave cheiro de bacon dentro do seu estômago.

Icono The Finger Phone

23 nov

Zinc Chan teve uma grande idéia. Projetou um aparelho baseado no gesto icônico das pessoas usarem as mãos para representar o telefone. Resolveu transformar o velho “hang loose” hawaiano num telefone de verdade, o Icono The Finger Phone.

O telefone de mesa é um produto muito tradicional, mas o Icono foi criado para o usuário ter uma nova experiência enquanto fala no telefone . O aparelho é dividido em duas partes, fone de ouvido e microfone. Os dois são colocados nas pontas dos dedos e, involuntariamente, um “hang loose” é formado. Outra novidade desse telefone é que quando se disca os números, um caminho animado é mostrado na tela de toque, tornando-se um exercício para a memória e criando uma interação mais emocional entre o telefone e o usuário.

Calças Dickies + Stussy

23 nov

Quando você era pequeno sua mãe costurava aquelas joelheiras de couro nas suas calças para, dai sim, você poder sair rastejando por aí? Com certeza, se suas calças fossem Dickies você não iria precisar desses charmes nos joelhos dos seus uniformes de guerra para ir à escola.

A Dickies surgiu no Texas quando CN Williamson e EE “Colonel” Dickie vendiam seus produtos no porta-mala do carro. Em 1918, foi fundada a U.S. Overall Company, alguns anos depois rebatizada de Williamson-Dickie Manufacturing Company. Os negócios prosperaram e a empresa foi escolhida para produzir milhões de uniformes para as forças armadas americanas durante a II Guerra Mundial, se tornado a maior fabricante de uniformes e roupas para trabalhadores do mundo. Uma estratégia de expansão pelo mundo era inevitável, e no final dos anos 50 a Dickies Workwear chegou à Europa e ao Oriente Médio para levar aos trabalhadores as mesmas roupas que os texanos usavam nos poços de petróleo do Texas.

Atualmente a Williamson-Dickie oferece roupas que vão desde suas calças e camisas de trabalho à vestuário fashion para mulheres. Em parceria com a marca californiana de streetwear Stussy popular entre skatistas, punks e hipsters, a Dickies produziu calças extremamente resistentes e confortáveis de algodão hipstop, o mesmo usado nas forças armadas. Veja aqui o lookbook da Dickies.